Redução da Maioridade Penal

Ler a discussão da redução da maioridade penal no Facebook está me causando um mal-estar danado, principalmente quando pessoas apresentam argumentos do tipo: "mas país X tem maioridade penal de 12/14/16 anos e tem menos violência/crime do que Brasil com sua maioridade penal de 18 anos." Esse argumento sugere que existe causalidade linear entre as duas variáveis e isso me tira do sério!
Não foi a redução da maioridade penal que fez com que país X (insira aqui: Alemanha, Noruega, Austrália, Japão, Suíça ou similar) atingisse índices de violência menores do que o Brasil. Por esse raciocínio, quanto mais baixa a maioridade penal, menor o índice de crimes violentos. O que não é verdade! (Exemplo: Nigéria tem maioridade penal de 7 anos. Se alguém aí tiver evidência que Nigéria, com sua maioridade penal BEM mais baixa do que a da Noruega de 14 anos, tem menos crimes violentos que a Noruega, por favor, me apresente esse dado Emoticon wink Claro que você poderia argumentar que estou sendo um tanto viesada ao escolher o caso da Nigéria... Mas que tal pegar um exemplo contrário então? O Uruguai tem maioridade penal exatamente igual ao Brasil de 18 anos e ainda sim, apresenta índices melhores em termos de violência. Ou seja, um não necessariamente causa o outro!)
O que fez com que grande parte dos países com maioridade penal mais baixa do que o Brasil tivesse um índice menor de crimes e violência foi educação e saúde, ou seja, investimento em capital humano! Que tal, ao invés de discutirmos como tapar o sol com a peneira, discutirmos como resolver o problema?! Gostaria de ver um debate sobre propostas de melhoria da qualidade de educação no Brasil, de como maximizar o acesso à educação e saúde. Afinal, quais são as propostas concretas do governo que trarão um retorno positivo para as crianças e os jovens de hoje? Acho que essa discussão seria muito mais relevante e quem sabe até apresentaria uma solução mais eficaz para a questão da violência, ao invés de ser uma solução meramente para inglês ver...

Nenhum comentário

Postar um comentário