Trecho de Quinta #10



"São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades." -Dumbledore
Harry Potter - J. K. Rolling

#Filme da vez

Me apaixonei por esse filme muito antes de assistí-lo, muito antes de ler qualquer sinopse e até de saber sobre o que se tratava. Por acaso baixei sua trilha sonora. Capa fofinha, título legal (Les Chansons d’Amour – sua romântica!) e en français! A possibilidade dessa trilha ser ruim, de tanta empatia que peguei por esses elementos, era bem remota. Mesmo com toda simpatia demorei bastante pra escutar, havia baixado muita coisa, e engolir música não faz bem a ninguém, tem que escutar relaxado (ou não né?! depende da música e situação) opto pras novas coisas que estão vindo. Mas quando escutei confirmei minhas suspeitas: apaixonante! A trilha tem lugar cativo nos meus arquivos musicais (isso é fato!). Mais que a demora pra escutar a música foi a demora pra assistir ao filme.

Quase um ano e Canções de Amor pra mim ainda era uma trilha sonora de um filme desconhecido. Mas nessa semana isso mudou, e ele já entrou pra minha lista de preferidos (e eu agora tenho uma rede social de filme, mais uma coisa pra eu perder o foco). Terminei o filme com vontade de vê-lo novamente. E na verdade creio que é preciso vê-lo novamente mesmo, prestar mais atenção nas músicas como diálogos e não como músicas, ainda mais pra mim que já amava as músicas antes do filme (ficava bem animada quando era a cena das minhas músicas preferidas).

A capa é linda, não é?!?!


Não vou falar sobre o filme, pois tenho medo de contar mais do que deveria, ao mesmo tempo não queria cair no cliché e na simplicidade de que o filme trata sobre um triângulo amoroso, pois não é. Personagens do filme compõem um relacionamento à três, mas o filme não trata sobre isso. Vale ressaltar que o filme foi escrito a partir de canções já existentes de Alex Beaupain (que também fez a trilha de outro filme do mesmo diretor, Christophe Honoré, Em Paris – Dans Paris, que é igualmente linda, porém mais orquestrada).

Dá vontade de colocar todas as músicas aqui (ou seja, o filme todo) mas vou me conter e deixo para quem se interessar procurar ver (e ouvir) o filme todo. Ah, vale ressaltar que o filme contém o lindo, charmoso e francês do Louis Garrel por quem sou apaixonada (ele fez OS SONHADORES ).

É isso aí pessoas, espero que gostem, vale a pena conhecer.

Trecho de Quinta #9



"Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.
[...]
Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando.
[...]
Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo."

(Sentir-se Amado - Martha Medeiros)

Um Bocado Verdade!

  
"Sou composta por urgências:
minhas alegrias são intensas;
minhas tristezas, absolutas.
Entupo-me de ausências,
Esvazio-me de excessos.
Eu não caibo no estreito,
eu só vivo nos extremos.

Pouco não me serve,
médio não me satisfaz,
metades nunca foram meu forte!

Todos os grandes e pequenos momentos,
feitos com amor e com carinho,
são pra mim recordações eternas.
Palavras até me conquistam temporariamente...
Mas atitudes me perdem ou me ganham para sempre.

Suponho que me entender
não é uma questão de inteligência
e sim de sentir,
de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca.”

 (Clarisse Lispector)

# a tatoo que eu queria ter feito







"Porque tem muito mundo no mundo e eu não quero ficar aqui."

Inclusão Digital...



Isso é o que dá o pessoal começar a migrar do Orkut pro Twitter! (kkkkkkk) 

Trecho de Quinta #8


" - Dói-te alguma coisa?
  - Dói-me a vida, doutor [...]
  - E o que fazes quando te assaltam essas dores?
  - O que melhor sei fazer, excelência.
  - E o que é?
  - É sonhar."


(Mia Couto - O Menino que Escrevia Versos)

Toda Mafalda - Quino




Olá, pessoas! Finalmente, arrumando um tempinho nessa rotina terrível que estou levando, vim aqui no blog fazer um review do livro Toda Mafalda, do Quino. Quem me conhece sabe que sou fã da Mafalda e toda sua turma, aliás falei sobre todos os personagens e sobre o "universo" das tirinhas da Mafalda AQUI, vale a pena conferir.


Ao contrário de todos os livros que eu comentei aqui (que podem ou não conter imagens), este livro é feito em quadrinhos. Só em quadrinhos. Assim, podem ser mostradas situações cotidianas da vida de crianças de um modo mais abrangente e leve, sem ter um formato "piadinha" que teria se fosse somente escrito.


O Quino sempre se utilizou da simplicidade infantil da Mafalda para fazer análises políticas muito importantes. Também criticou a sociedade argentina e os costumes da época de maneira brilhante. É interessante se observar neste livro o desenvolvimento dos personagens. Além de algumas mudanças físicas, pequenas mas muito reparáveis, vê-se o amadurecimento de Mafalda psicologicamente, mostrando assuntos cada vez mais polêmicos para, logo depois, mostrar tirinhas de preocupações infantis, como a escola.

Esta edição contém todas as tirinhas publicadas por Quino, da primeira à última, e mostram, com muito humor e carisma, que ser politizado e consciente não significa ser pessimista, e, principalmente, não significa ser adulto. São 420 páginas de um humor pertinente, que mostram que para ser inteligente não precisa ser sério, chato e cansativo. Uma obra para todas as idades. Se uma criança ler as tirinhas, ela vai entender e dar risada (muita). Se um adulto ler, ele vai entender, dar risada e, principalmente, irá refletir sobre. 

Eu sempre achei o humor do Quino, emprestado à Mafalda, de altíssimo nível. É realmente um livro para ler, reler, ler de novo e de novo... e quando terminar, passar para os filhos lerem, relerem e lerem de novo, e de novo...


Há! Não me aguentei, e vou ilustrar o que digitei até agora (pra quem leu, né!). Pincei algumas tirinhas, tarefa nada fácil, mas vou colocar assim mesmo. Espero que gostem!



# pequenos momentos de felicidade


O cheiro do sabonete ainda estava na pele, mesmo depois de descer a ladeira debaixo de uns chuviscos que perigavam virar chuva, enquanto ia em busca de entrar no carro. Ela notou o cheiro ao tentar tirar um cravinho do seu rosto, e parou porque sentiu o quanto sua pele estava macia. Aproximou seu rosto do dele e inspirou forte, como se estivesse segurando o ar e parando de respirar como nas vezes em que precisa fotografar alguma coisa sem o auxílio do tripé, e faz todo  esforço para que a foto não saia tremida. Às vezes treme, ás vezes não. Dessa vez tremeu, e guardou aquele cheiro na memória, assim como tem o do perfume guardado. Parou de pensar no cheiro porque lembrou do cravo que estava olhando e a vontade de tirar era tanta que forçou somente com uma unha para que o artrópode saisse (acha feio, nojento e sente vergonha de tirar cravinhos em público, por mais que lhe dê aquela vontade. Já entre quatro paredes pode tudo). Ficou puxando o cravinho com a unha com a desculpa de que era um pelinho, mas ele sabia o que ela tentava fazer, e nesse instante foi chamada de chata. E isso era felicidade. Mas teve que acordar pra não perder a hora. Correu, entrou no carro e foi para sua casa. Chegando lá, percebeu que todos dormiam, então desistiu de ler aquele capítulo do livro que tanto queria. A impossibilidade de ligar a luz do cômodo, para não acordar ninguém, estendeu imediatmente os pequenos momentos de felicidade no pensamento. Ganhou o dia que acabara de terminar.   

#a tatoo que eu queria ter feito




Pq me faz bem, pq eu amo e pq lá é "aquela casinha onde você se sente bem...".

Trecho de Quinta #7


"Já tive torres internas que foram ao chão. Torres altas demais para mim, torres que nem chegaram a ficar concluídas (as de dentro nunca se concluem), torres que me exigiram esforço e que me deram prazer, até que alguém, com uma frase, ou com um gesto, as fez virem abaixo. Tinha gente dentro, tinha eu." 

(Martha Medeiros)

#eu quero

Acho que esses tempos ando meio consumista (mesmo sem consumir nada), e tenho vidrado nos produtos relacionados à fotografia. A maioria deles estão na minha listinha "um dia eu terei".  Acho que isso vai render mais que um post, pois tem um link antigo que guardo com várias camisetas legais sobre foto. É sim, eu adoro fotografia e esse mundo, essa arte, me fascina.

Mas então vamos aos produtos.

Sou vidrada em canecas e copos diferentes, e esse aqui já ganhou meu coração. É vendido no Photojojo, e o valor é $24,00.

E ainda é Canon! Yes, I'm a Canon Girl.


Uma das lojas virtuais que eu mais acho fofa da face da terra é O Segredo do Vitorio, além de ter vários objetos legais à venda ele é tão simpático, tão atencioso, e todo mundo fala que o material chega todo bonitinho, perfumado, todo bem cuidado. Ainda irei conferir, nunca comprei nada nele (época de vacas magras, bem magras). Essa lojjinha tem muitos produtos, e vários deles relacionados à fotografia. Segue listinha.





Os chaveiros que são vendidos nesse site são da marca americana Kikkerland. Quando você clica no botão, ele emite som de máquinas fotográficas e o flash pisca. Legal né?! Quem fotografa sabe o quanto o barulho da cortina abrindo e fechando é uma coisa linda de se ouvir.
O chaveiro da direita ainda é vendido na Design Mania, mas é mais caro.



Ainda no O Segredo do Vitorio vi esses indentificadores de mala, mas estão esgotados. Coloquei o link mesmo assim porque geralmente eles voltam a ser vendidos, e como todo site tem a opção de solicitar que nos avisem quando (e se) estiver disponível deixo aí a dica.
 
 
 
Nessa opção de esgotado também entrou uma das coisas que fiquei mais louca. Viciada em baralho do jeito que sou, meus olhinhos brilharam assim que vi esse produto. Já solicitei o aviso de disponibilidade, não vejo a hora de fazer uma sueca com esse baralho lindo. (voinha de Lurdes iria amar)
 
Também na Photojojo (a loja da caneca linda lá em cima) tem vários outros produtos relacionados à fotografia. Diferente dos outros sites, esse é só sobre fotografia e tem uma loja virtual com vários produtos que vão de câmeras, papéis, filtros, portarretratos (ai nova ortografia) e muitos outros.
 
Um dos produtos da Photojojo mais fofos que  eu acho é o USB no formato de câmera fotográfica.



E ainda essas miniaturas lindas, eu teria só por xodó mesmo.Mas o site dá uma idéia fofíssima de usar como pingente. Confesso que se eu ainda brincasse de barbie a minha seria uma fotógrafa extremamente equipada com todas essas miniaturas. E como pingente, num gostei muito não, prefiro colecionar. (hihihihi)






Vale a pena dá uma olhada em todos os sites que coloquei aqui, é cada coisa mais linda que a outra. O Segredo do Vitorio e Desingn Mania são bons pra acharem outras coisas bacanas não relacionadas à fotografia. Indico muito.

Há! Se alguém quiser me presentear com algum desses produtos que eu coloquei aí em cima, eu aceito "viu"! (hehehehe)

Trecho de Quinta #6




"(...) As noites são pequenas pro meu sono, os dias grandes demais pras minhas dúvidas. Eu quero parar, eu quero fugir, eu quero voar pra onde haja cheiro de infância, o rosto da minha avó, as pernas grandes da minha mãe, onde eu me escondia tanto, tão protegida. Eu quero um mundo de verdades, que seja de mentirinha, pra eu me sentir confortável..."
' Rani Ghazzaoui

Trocando em Miúdos


Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim!
O resto é seu
Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças
Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter
Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado
Aliás
Aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu
Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde.


(Composição: Chico Buarque & Francis Hime)


(Download na voz de Chico Buarque)