Opostos se atraem?

É de se ter cuidado com as apelações pra não desbundar em pieguice... Mas a montagem que se segue cala fundo. Pra onde segue o mundo? Se tão consciente dos descalabros, o que faz do nosso sono tão profundo e tépido?
Com a palavra, o poeta:




Ó miséria humana
Que te alimentas do ódio
És dor que racha o peito
Daquele que mergulha no lodo
Para salvar o irmão do ópio.

Ó miséria humana
Que te alimentas do terror
És dor que despedaça a alma
Daquele que procura
A Luz, o Caminho e o Amor.

Ó miséria humana
Que te alimentas da ignorância
És dor profunda
Daquele que já transpôs
Os meandros da ilusão
E se transfigurou
Numa Luz em abundância.

Ó miséria humana
Que te alimentas da separação
Não existe uma razão
Para que tu me faças sofrer,
Pois o tu e o eu não existe
Só o Uno consiste
Para lá do ter.

Ó miséria humana...
Espero que um dia
Possas vir morrer á fome.

(Miséria Humana - Jorge Moreira)

2 comentários

  1. Bom dia kerlynha,
    A poesia diz por si só. Mas sabe, essa diferença imensa na sociedade, é o ópio da cultura e do império capitalista que se tem no mundo.
    Seria tão mais fácil uma sociedade mais justa e igual, mas isso é uma utopia.
    Enfim,
    Um ótimo final de semana pra ti.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. A poesia diz tudo! E a foto mais ainda, fala/ grita,por assim dizer, por si so!
    So queria que isso nao fosse verdade =/ mas infelizmente eh, uma verdade verdadeira demais.

    Bju
    letracomasa

    ResponderExcluir