A Dor da Saudade...

    O que é a vida sem as pessoas que mais amamos?Qual sentido de viver sem elas? (se é que exista algum). Como já dizia o poeta: "A dor se veste em segredo..."
Neste dia 22 de outubro de 2010,seria o aniversário de vida da mulher mais amada por mim; minha mãe, que partiu ao encontro do Pai Celestial no dia 19 de agosto de 2004. Uma ferida que nunca cicatrizou,e dói tanto quanto no primeiro dia. Minha maior saudade! Minha maior dor! E decepção... O saudoso Bob Marley já dizia:


"Os ventos que as vezes tiram coisas que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar...
Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado, e sim aprender a amar o que nos foi dado. Pois tudo aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre."


Deixo aqui para vocês leitores uma música que ouvia quando criança, na voz da minha doce e amada "Mainha". Consigo me lembrar como se fosse hoje, o som de sua voz recitando essa música em meus ouvidos,o amor traduzido em palavras... (paro um instante para me recompor...)
Eis que retorno para concluir meu raciocínio...
Uma obra-prima do Vinicius de Moraes composta juntamente com o Toquinho, "Valsa para uma menininha". Leiam:


                                   
"Menininha do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão
Menininha, não cresça mais não
Fique pequenininha na minha canção
Senhorinha levada
Batendo palminha
Fingindo assustada
Do bicho-papão
Menininha, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver
Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim
E você vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Teu bicho-papão
Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei"




"A morte é mais forte que a vida. Mas o amor é mais forte que a morte."
                               (Gibran Khalil Gibran, As Almas Rebeldes)          

3 comentários

  1. Adorei o que li, querida Kerlynha!

    Tenho ouvido com muita frequência aquele famoso dito: "... só damos valor pras coisas, depois que a perdemos..."
    E ao ler seu texto, não pude deixar de lembrar...

    Lamentou pela sua dor, mas talvez a dor seja maior daqueles que tem e não dão o devido valor. Aqueles que desprezam e acreditam que tudo será pra sempre.

    Tenho muito a aprender com isso!
    Adorei o post... acho que estava precisando disso!

    Um beijão!

    ResponderExcluir
  2. Perdi minha mãe esse ano em junho 2010. E com tudo que li aqui nao sei se sou a unica caindo em um precipicio,ou se estamos acordando de um...é muito louco.
    Queria acordarete-la aqui

    ResponderExcluir
  3. Olá Gioconda!

    A dor é inearrável, sei que é meio batido mas... realmente, só sabe quem perde!
    A sensação é mais para "cair no precipício" do que "acordar de um precipício"...
    A gente nunca acorda...
    Sinta-se a vontade sempre para falar sobre!
    Bjoss

    ResponderExcluir