Racismo x Adaptação

Alguns ainda se lembrarão da polêmica que envolveu a Microsoft através da sua filial polaca, tudo porque esta resolveu, numa publicidade, substituir a cabeça de um homem mulato pela de um homem branco. "Racismo!" Gritaram logo os habituais setores exaltados da sociedade. "Perdão!" Disse apressadamente a empresa americana.
Quem conseguir aliar o bom senso ao mínimo conhecimento do mundo, saberá que a "identificação" é algo de essencial na publicidade. O público-alvo tem de se identificar com as coisas que vê.
Gente, na Polônia não há negros. E, mesmo havendo, não seriam mais do que uma parcela insignificante das várias dezenas de milhões de habitantes que o país tem, logo, um anúncio com um mulato lá metido, não tem nada a ver com o público-alvo.

Por cá, apesar de os não-brancos não chegarem a, parece, 2% da população, já vai havendo o hábito de exagerar a proporção incluindo sempre alguém mais escuro (nunca preto ou indiano) de forma a contentar os espíritos politicamente corretos.

Mas, na Polônia não o fizeram e,caiu o Carmo e a Trindade. Curiosamente, tivemos acesso a outro caso semelhante, e que envolveu a série de desenho animado "Os Simpsons". Estes, como sabem, são orgulhosamente amarelos, mas passaram por uma cura de escurecimento para a publicidade relativa ao lançamento da série em terras africanas, mais propriamente, em Angola.

E agora? Mudaram a cor dos Simpsons (só para a publicidade),os vestiram com outras roupas, mudaram-lhes os penteados... Poxa, até alteraram a paisagem no quadro pendurado na parede! Mas, atenção, agora já não é um caso de racismo... é, apenas, adaptação ao público-alvo...


E eu pergunto, qual a diferença entre os dois casos?
As pessoas tendem a embelezar as coisas, tudo isso não passa de hipocrisia!

 

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, sempre haverá guerra."
(Bob Marley)




Nenhum comentário

Postar um comentário